Niterói é um dos celeiros da vela do país

9 de agosto de 2021

grupoimoveis

Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram o bicampeonato olímpico em Tóquio. Elas já possuíam no currículo duas pratas nos Mundiais de 2017 e 2019 e conquistaram um quarto lugar em 2018. A dupla venceu, inclusive, o evento teste de Tóquio, em 2020.

Elas agora entram no olimpo do esporte brasileiro, com uma lista de poucos nomes a terem duas medalhas de ouro nos Jogos. Martine Grael e Kahena Kunze se juntam a Adhemar Ferreira (atletismo), Robert Scheidt, Torben Grael, Marcelo Ferreira (vela), Serginho, Giovane, Maurício, Paula Pequeno, Thaísa, Fabiana, Jaqueline, Sheilla, Fabi (volei).

Filha de Torben Grael, a niteroiense Martine começou a velejar com quatro anos no Rio de Janeiro, e aos 13 era campeã brasileira na classe Optimist. Com a medalha de ouro em Tóquio, a família Grael passou a ter nove medalhas olímpicas. Duas de Martine, cinco de Torben e outras duas de Lars.

Ao mesmo tempo, em São Paulo, a filha do campeão mundial juvenil Cláudio Kunze, Kahena, aprendia a velejar na represa de Guarapiranga. Fruto de uma gravidez complicada, Kahena ganhou esse nome graças a uma personagem de um livro que sua mãe leu, que era uma guerreira mitológica.

Com essa conquista, Martine iguala o pai, Torben Grael, com o 2º ouro e marca a história da vela com o primeiro bicampeonato seguido.

Um orgulho para a nossa cidade!